Por Rita Martins

Levantar de um tombo não é fácil e nem todos conseguem com facilidade. Muitas vezes quando caímos, por qualquer motivo que seja, o fim de um relacionamento, a perda de emprego, a morte de alguém querido, tendemos a ficar sem energia e totalmente perdidos sem saber como seguir adiante.

Mesmo quando tudo parece conspirar negativamente, existem pessoas que conseguem superar as dificuldades de maneira mais fácil do que outras. Elas estampam um sorriso no rosto e seguem em frente. Pessoas assim são naturalmente mais preparadas para lidar com as adversidades. São mais resistentes ao stress.

Especialistas passaram a estudar as características desses “sobreviventes”. E emprestaram da física um termo que define esse modo de lidar com os problemas: RESILIÊNCIA. Que é a capacidade de um material voltar ao seu estado normal depois de sofrer grande pressão.

O resiliente consegue sair ainda mais forte das más experiências e encara as dificuldades como oportunidade de encontrar soluções criativas e determinadas para se levantar.

Conseguem adotar uma postura sadia mesmo em ambientes e situações difíceis; têm características notáveis como a curiosidade, o bom humor, a determinação, a criatividade; e são mais flexíveis em função da personalidade mais equilibrada. São tanto otimistas quanto pessimistas, sérios e alegres, lógicos e criativos, altruístas e egoístas, compassivos e indiferentes, trabalhadores e preguiçosos. Não são de um jeito nem de outro. São de ambos os jeitos. Eis o segredo da flexibilidade e da adaptabilidade. Esse paradoxo exige uma busca de postura diferente para cada caminho a seguir.

Todo mundo tem um grau de resiliência, por menor que seja. Mesmo que algumas pessoas nasçam mais aptas para enfrentar as adversidades da vida, isso não impede que outras não se tornem capazes de superar os problemas com mais facilidade.

Todos podem se tornar mais resilientes com algumas práticas. Talvez a mais importante seja seguir em frente.

Outros passos para a superação de problemas:

. Manter o bom humor nas adversidades;

. Ser flexível, ter “jogo de cintura”;

. Reconhecer seu próprio valor e poder  se ajudar;

. Procurar a estabilidade emocional;

. Contar com as pessoas para compartilhar as dificuldades e buscar ajuda;

. Reconhecer que os problemas, às vezes,  exigem posturas diferentes, maneiras novas de agir;

. Não desistir nunca e ser persistente;

. Renovar as energias e manter sempre a disposição de agir;

. Buscar a criatividade para achar novas soluções;

. Ter liberdade para encontrar alternativas de caminhos a seguir;

. Determinar um sentido espiritual para a vida;

. Amar e ser solidário para ajudar os outros através de sua história. Enfim, o segredo é esperar a poeira baixar e dar a volta por cima!

Baseado no texto “O Caminho da Superação” de Rafael Tonon